Diabetes Tipo 1 no Brasil foi tema da Audiência Pública na Assembleia Legislativa




Na última quinta-feira, a ADJ junto com a ANAD, FENAD e SBD foram convidadas para participar da Audiência Pública sobre a Situação do Diabetes Tipo 1 no Brasil, a convite do deputado Gil Lancaster, autor da PL 415/2015, que institui a Semana Estadual do Diabetes Tipo 1.

Estiveram presentes na mesa de debate: Carlos José Augusto da Costa, Dra.Karla Melo, Dr. Walter Minicucci, Dr. Fadlo Fraige Filho, Dr. Luiz Eduardo Calliari, os deputados Gil Lancaster e Márcio Camargo, e Luiz Eduardo Gutierres, que representou o presidente da Assembleia Legislativa Fernando Capez, e as mães de filhos com diabetes Carolina Dias e Denise Panico.

Cada um dos presentes expôs o cenário do diabetes, os cuidados, as lutas conquistadas a favor das pessoas com a condição, o apoio à aprovação das insulinas análogas para entrar no protocolo de tratamento das crianças e jovens com diabetes, o repúdio à matéria da Folha de S. Paulo (http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2015/05/1631178-com-apoio-de-farmaceuticas-associacoes-pedem-mais-remedios-na-lista-do-sus.shtml), que relata que as associações se beneficiam dos recursos das empresas farmacêuticas para fazer lobby a favor dos medicamentos.

O deputado Gil Lancaster assinou quatro PLs, que beneficiam portadores de diabetes tipo 1. Um deles é sobre atendimento diferenciado para esses pacientes na rede estadual de saúde, o outro sobre um cardápio diferenciado nas escolas públicas, o terceiro fala sobre as escolas disponibilizem um armário para inserção das insulinas, lancetas e monitores de glicose e, no final, o quarto é sobre os hospitais públicos e outras instituições de saúde serem pautados sobre noções básicas do diabetes.
Os próximos passos serão reunir todas estas ideias e apresentar na reunião da Frente Parlamentar, que acontecerá em breve. Possivelmente as propostas serão levadas para o poder executivo.

Agora é só esperar!

Nota sobre a matéria da Folha de S. Paulo

Gostaria de esclarecer que antes do I Encontro Nacional de Jovens e Adultos com Diabetes, ocorrido em abril, fiz uma sugestão para o jornalista da Folha de S. Paulo sobre o empoderamento do paciente. A minha ideia foi colocar o repórter em contato com instituições que já realizaram iniciativas, que conseguiram mudar o protocolo de atendimento de pessoas com câncer e com artrite reumatoide e que associações de diabetes estavam trilhando o mesmo caminho.

A ideia era que fosse publicada uma matéria que listasse as políticas públicas de diabetes e o que estávamos propondo para melhorar o atendimento da saúde da pessoa com a condição no país. Ao longo das apurações do jornalista, ele resolveu mudar de ideia e publicou uma matéria com informações, que só prejudicaram todas as associações, que querem melhorar o sistema de saúde no Brasil. Deixo bem claro, que em hipótese alguma a inserção das insulinas análogas no protocolo de atendimento de pessoas com diabetes tem recursos das empresas farmacêuticas. A nossa luta é que pessoas com a condição tenham direito ao tratamento adequado para diminuir os riscos de hipoglicemia e de complicações.

No final das contas, o que era para ser uma matéria positiva acabou frustrando todos os pacientes com diabetes e associações de todas as doenças do país, principalmente as de câncer, artrite reumatoide e diabetes. Resultado: foi uma matéria de desserviço! Mas no final, chegamos à conclusão de que a imagem de cada uma das associações não se queima diante do trabalho, do serviço e dos resultados de cada uma delas, que atua em prol da humanidade!

Obrigado por comentar! :)